Histórico
Lixo Reciclado - Tarifa Zero

Responsáveis e intermediários da campanha: Prefeitura de Itajaí, Secretaria de Obras e Serviços Municipais, Fundação Municipal do Meio Ambiente (Famai ), a empresa concessionária Engepasa Ambiental Ltda e a Cooperativa dos Coletadores de Materiais Recicláveis da Foz do Rio Itajaí (Cooperfoz) .

O histórico da implantação da Coleta Seletiva em toda a cidade começou com a supensão da tarifa de lixo de janeiro a junho de 2005, uma promessa de campanha do prefeito Volnei José Morastoni.

A administração municipal propôs a isenção da tarifa para o morador ou empresa que separar o lixo orgânico. A partir de 1º de julho, através da Campanha “Lixo reciclado, tarifa zero”, a Prefeitura de Itajaí buscou estimular a conscientização da comunidade sobre as vantagens obtidas com a reciclagem.

Os contribuintes receberam uma carta de adesão para ser preenchida com seus dados e do imóvel, assumindo assim, o compromisso de separar o lixo orgânico do lixo reciclável. Para permanecer no programa o morador deve colocar em um saco o lixo orgânico (restos de comida, de frutas, pó de café, folhagens, entre outros), o lixo do banheiro e as embalagens não recicláveis. Em outro saco o lixo seco, que são os resíduos sólidos (papel, plásticos, metais e vidros) e podem ser colocados todos juntos. Uma vez por semana o caminhão da Coleta Seletiva passa em todas as ruas, conforme a tabela de horários distribuída à população e que está, também, disponível no site da Prefeitura. A coleta de lixo comum continua a ser realizada nos mesmos dias já conhecidos pela comunidade itajaiense.

A Coleta Seletiva gera empregos e integra na economia formal, os trabalhadores antes marginalizados, que têm agora a sua atividade facilitada com a separação realizada pelas residências e empresas. A fiscalização do programa é feita por amostragem, para verificar se o lixo orgânico está separado do seco. O não comprometimento resulta na cobrança da tarifa.

Após a realização da coleta seletiva, o lixo reciclável é levado à Cooperfoz que separa e vende o lixo. Os resíduos recicláveis também podem ser coletados pelos catadores informais que recolhem o lixo antes dos caminhões específicos da coleta seletiva.

A reciclagem de papéis, vidros, plásticos e metais reduz a utilização do aterro sanitário, prolongando a sua vida útil. Além de implicar na redução significativa dos níveis de poluição ambiental e do desperdício de recursos naturais, devido a economia de energia e das matérias primas.

O morador de Itajaí que separa o lixo orgânico do lixo reciclável, não paga mais a taxa do lixo

A adesão ao programa implantado pelo prefeito Volnei Morastoni, foi efetivada por 92% dos contribuintes em 2005. Desde a implantação do programa foi possível a redução de 500 toneladas, por mês, do lixo depositado no aterro sanitário, sendo 150 toneladas coletadas pela empresa concessionária e 350 toneladas pelos catadores de rua. A Coleta Seletiva do Lixo também gera emprego e renda para 50 famílias dos que trabalham com a reciclagem na cooperativa.

População beneficiada - Área urbana: 158.112 e rural: 6. 838 habitantes

Prefeitura Municipal de Itajaí

CTIMA